Organização, Trabalho e Compromisso - 24 de Março de 2017
< voltar

Clique na foto para ampliar

REVISTA DO ENART

Ao longo de quatro meses, nas manhãs de sextas-feiras, durante duas horas, seis entusiastas e apaixonados pela música e canto vocal se reuniram em Santa Maria, na região central do Estado, independente de tempo bom ou tempo ruim. Objetivo: fazer bonito no Enart 2016. Deu certo!
O grupo VocaPampa, representando o DTG Noel Guarany, de Santa Maria, na 13ª Região Tradicionalista, não só fez bonito como conquistou o primeiro lugar em Santa Cruz do Sul na modalidade Conjunto Vocal. O mérito tem um tempero a mais: foi a primeira participação no concurso.
- O festival era a grande meta – afirma Josemar Dias. Ele é um dos integrantes do grupo, que iniciou suas atividades no início deste ano, reunindo diversos amigos e velhos conhecidos de outras edições e modalidades do Enart: Ediana Larruscain, Júlio Pereira, Leo Netto, Matheus Lameira e Ricardo França. Segundo eles, a sensação na hora do resultado foi incrível, mas a emoção tomou conta mesmo instantes depois, pois a energia misturada aos aplausos foi muito grande.
- Saímos do palco emocionados e chorando. Tudo saiu como planejado.
Para vencer o Enart foram determinantes os ensaios, a organização e principalmente a paixão por cantar. As palavras chave, segundo os integrantes, foram organização, trabalho e compromisso. A inspiração e influência dos integrantes vêm de grupos como Conjunto Farroupilha, Roupa Nova, Take 6, Rockapella e Acapella e o agradecimento pelo apoio para esta edição são para a Universidade Federal de Santa Maria e para o DTG Noel Guarany e sua equipe, que proporcionaram a estrutura para ensaios.
Planos para o futuro? Novos desafios e projetos.
Conheça os integrantes do VocaPampa:
Ediana Larruscain: 21 anos, professora e musicista. Começou a trabalhar com música aos 12 anos junto de seu pai.
Josemar Dias: 25 anos, professor e produtor musical. Iniciou sua trajetória no tradicionalismo em 2009 representando o DTG Noel Guarany.
Júlio Pereira: 49 anos, músico e professor. Natural de São Luiz Gonzaga, iniciou sua trajetória no tradicionalismo com 11 anos no CTG Sentinela do Caaró, na cidade de caibaté. É a segunda vez que conquista o prêmio nesta modalidade.
Leo Netto: 29 anos, professor, acadêmico e músico. Iniciou no tradicionalismo em 2014.
Matheus Lameira: 22 anos, professor e músico. Residente em Santa Maria, iniciou sua trajetória no tradicionalismo em 2013, no CPF Piá do Sul.
Ricardo França: 32 anos, musicista e empreendedor musical. Residente em Vera Cruz, iniciou no tradicionalismo em 2008, no DTG Associação Atlética Souza Cruz.

Sandra Veroneze